Estrutura de criação, formação de públicos e programação

Fundada em 2008 a ALGURES é uma associação cultural que tem o Clown, o Teatro e a Narração Oral na sua gênese, sendo capaz de se estender por diversos lugares.

Recentemente estreiou "O Tempero", um espectáculo que propõe um regresso ao intimismo e à desaceleração, abordando temas como microviolência e lugares de poder, mas também o tempo, a produtividade e a criação de valor.

Imagem com padrão de um tronco cortado visto de cima

O TEMPERO

A mais nova criação d'A Algures estreou em Outubro, n'O Espaço do Tempo, em Montemor-o-novo e esteve em temporada no Largo Residências, em Lisboa.

Este espectáculo é um jogo de objectos, um desfiar de histórias fragmentadas, um emaranhado subterrâneo que tece o nosso dia-a-dia. Aqui aprendemos a liberdade, a cozedura, aqui abolimos os relógios e dilatamos a data.

CONTAR ÀS ABELHAS no ESCUTADORES

Finalizamos mais uma edição do ESCUTADORES  com uma temporada do Contar às abelhas, no auditório da Biblioteca Orlando Ribeiro, no Lumiar.

Houve um tempo em que se contava
e contar era a forma mais bela de se estar
e de honrar a ancestralidade
Houve um tempo em que os animais falavam
Houve um tempo em que a morte e a vida estavam misturadas
e que os outonos eram bem-vindos
Houve um tempo em que a mudança fazia parte
e de transformação em transformação
a vida e a morte se cumpriam
Houve um tempo em que o tempo era outro

Criações

O Tempero

Este espectáculo é um jogo de objectos, um desfiar de muitas histórias fragmentadas, um emaranhado subterrâneo que determina o nosso dia-a-dia...
Ler mais

Contar às Abelhas

Da simbologia destes pequenos seres voadores, sábios e multiplicadores parte a reflexão sobre a morte e sobre as várias relações que estabelecemos ao longo da vida...
Ler mais

Com Amor, Papel, Manteiga e Marcador

Com amor, papel manteiga e marcador fala de des-encontros, de amizade e de solidão; mas principal-mente fala ao coração...
Ler mais

Quem Somos?

Transformar vivências individuais em experiências alegres e profundas comportando toda a complexidade trágico-cómica da vida. Algures é este lugar da partilha. Um tempo-espaço de vivência comum através do teatro, do clown e da narração oral.